quinta-feira, maio 01, 2008

Tira-me deste Vale


Aqui estou mais uma vez, no vale da minha agonia.
A doce amarga sinfonia, mais uma vez me domina.
A história se repete o teclado está cheio de lágrimas.
No livro de poesias tristes completo mais uma página.

Tira-me deste vale! Eu quero ser livre e voltar a viver.
Atire me uma corda, e me puxe para junto de você.
Tira-me deste vale! Quero morrer e nascer de novo.
Transforma me em um anjo para voar ao seu encontro.

Aqui estou eu mais uma vez, no vale de muita aflição.
A enfermidade congênita destrói e corrói minha visão.
A história se repete, e termino só pois fui preterido.
No livro de poesias tristes escrevo versos depressivos.

Tira-me deste vale! Eu quero ser livre e voltar a sorrir.
Estenda me suas mãos, não me deixe outra vez cair.
Tira-me deste vale! Quero desaparecer e ressurgir.
Transforma me em um anjo para a seu encontro ir.

Aqui estou mais uma vez, no vale da minha solidão.
A angustia me invade e faz de mim sua habitação.
A história se repete, passo a noite toda sem dormir.
No livro da vida procuro um caminho pra prosseguir.

1 Comments:

Blogger Sujeito Experimental 2007 said...

Bacanas seus poemas...me identifiquei um pouco com esse...to numa faze meio trash...comecei um blog há pouco...não me considero um poeta, mas escrevo o q sinto e posto lá....coisas q eu não consigo dizer...depois passe por lá pra dar uma olhada...até!

4:55 PM  

Postar um comentário

<< Home